COMO CHEGAR
 Atrativos Turísticos
 Equipamentos de voo
 Escola de Voo
 Esportes de Aventura
 Eventos
 Galeria de Fotos
 Galeria de Videos
 Lojas Fora do Ar
 Meteorologia
 Pousadas
 Rampas de Voo do ES
 Reportagens
 Sobre Alfredo Chaves
 Voo Duplo
Busca:
 
Dicas - AEROLOGIA

A E R O L O G I A

É uma ciência que estuda os movimentos das massas de ar aos níveis mais baixos, sofrem

influência do efeito do solo. A natureza do solo e a morfologia do terreno, podem alterar as

condições climatéricas localmente, dando origem aos denominados microclimas. Podem-se alterar;

a velocidade e direcção do vento, a temperatura, a humidade e o aparecimento de nuvens.

A aerologia estuda os fenómenos locais: os ventos locais, brisas, ascendências

térmicas, o fenómeno da restiuição, o comportamento do vento face ao relevo,

etc.

 

VENTOS LOCAIS

O vento desloca-se em várias camadas, é na camada mais baixa que este

assume comportamentos diversificados na colisão com os objectos adjacentes à

superfície (rochas, vegetação, relevo, casas e outros objectos).

Devido ao efeito de “Coriolis” e do atrito causado pelos objectos, a direcção e

intensidade do vento não serão a mesma em todos os níveis. Por exemplo: um

vento Sudoeste à superfície, pode ser Oeste em algumas centenas de metros mais

acima, se continuarmos a subir a direcção do vento pode mudar para Noroeste.

Por razões diversas é importante perceber que a direcção e intensidade do

vento não são iguais em todas as altitudes.

 

BRISA

A brisa é um vento à escala local, formado geralmente por um fenómeno

térmico. Existem vários tipos de brisas; do mar, da terra, vale, montanha, etc.

Regra geral quando o vento geostrófico é nulo ou fraco, impõem-se as brisas

locais.

 

BRISA DO MAR

Durante o dia a terra aquece mais do que o mar, consequentemente o ar desloca-se das zonas

mais frias para as mais quentes, é a razão principal porque surge a brisa do mar.

 

BRISA DA TERRA

Durante a noite este processo inverte-se, o ar desloca-se da terra para o mar.

Em virtude da terra durante a noite arrefecer mais rápido do que o mar.

 

BRISA DO VALE

O aquecimento das encostas expostas ao sol, produz um vento local de

ascensão ao longo das mesmas, designado por vento anabático. Regra geral,

quanto maior for a intensidade solar, maior será a força do vento. Sobe os vales

durante o dia e resulta da camada de ar das brisas das encostas, sendo mais forte

quanto mais alto for as encostas. Quando o vale estreita a brisa do vale acelera.

 

BRISA DA MONTANHA

Ao anoitecer dá-se o arrefecimento das encostas e produz o efeito oposto, ou

seja um vento local descendente, designado por vento catabático. Este vento é

tanto mais forte quanto mais frio for a temperatura ambiente, sendo

normalmente mais intenso ao meio da noite.

 

Brisa do vale Brisa de Montanha

As correntes anabáticas contribuiem para que seja no cimo dos cumes e encostas

expostas ao sol se onde se formem as ascendentes.

Nota: De noite todas as brisas mudam o sentido em virtude da inversão dos

fenómenos térmicos.

Todas as brisas aparecem apenas em situações meteorológicas suaves,

principalmente nos anticiclones (quando o vento apresentado pela meteorologia

é fraco).

 

RESTITUIÇÃO

É um fenómeno que se processa nos dias quentes ao fim da tarde, consiste na

libertação do calor acumulado na vegetação. É uma térmica extensa e muito

suave (sem turbulência).

 



 
Destaques

No Ar
Voo Duplo de Parapente - Liberdade total

Na Pedra
Não sou calango, mas...

Na Água
Para quem não tem medo de se molhar

Na Terra
Caminhada Ecológica - Aproveite a paisagem!


Newsletter




Enquete
Qual aventura você gostaria de fazer?
Voo duplo
Rapel
Bóia Cross
Ecopasseio
Kaiake

  








Avenida Getulio Vargas, s/n - Centro, Alfredo Chaves-ES - 29240-000 :: (27) 3269-1345 | (27) 9981-6751